Nossa História

A ideia nasceu de uma visita que o Comendador Manuel Lopes Valente fez a sua terra natal, a freguesia de Sanfins, do Concelho da Vila da Feira, em 1951/52, depois de uma ausência de 24 anos. Logo que chegou ao Rio de Janeiro, contatou amigos como Albertino Alves Ribeiro, José Tomaz dos Reis, José Manuel dos Santos Soares de Sá, Joaquim Marques de Sá, Antônio da Silva Campos e Manuel Correia de Sá e lhes pediu ajuda para fundar uma casa que serviria de espécie de Consulado das Terras de Santa Maria da Feira.

Na época era Diretor da Casa dos Poveiros. Em reunião da Diretoria, no dia 10 de abril de 1953, informou seu desejo de fundar uma casa com o nome da sua Vila da Feira, sendo de pronto apoiado pelo Presidente Alípio da Silva Oliveira e o aval dos demais Diretores, que ofereceram as dependências da sua sede para o que fosse preciso.

Animado, Lopes Valente resolveu convidar Albertino Alves Ribeiro, Antônio da Silva Campos, José Tomaz dos Reis, José Manuel dos Santos Soares para um encontro. Assim, em 04 de junho de 1953, realizou-se o encontro no BAR  LUIZ, na rua da Carioca, nº 39. Além dos já citados, a convite de Soares Sá, estavam presentes Domingos da Silva Santos (Radialista). Deixaram de comparecer por motivos justificados José Tomaz dos Reis e Antônio da Silva Campos. Lopes Valente explicou os motivos do encontro, sendo logo apoiado por todos. Marcaram nova reunião, na rua Miguel Couto, nº 27/ 5º andar, salas 505/6, ocasião que com maior número de feirenses pudessem fundar a Casa da Vila da Feira.

Nesse dia compareceram: Lopes Valente, Albertino Alves Ribeiro, Antônio da Silva Campos, José Manuel dos Santos Soares de Sá, Manuel Maia de Almeida, Joaquim Marques de Sá, Ramiro Coelho da Luz, Manoel Correa de Sá, Luiz Coelho da Luz, Arthur José Correia de Sá, Ernesto da Silva Campos (de visita ao Brasil), Eugênio da Silva Campos, Antonio Joaquim Ribeiro, Abel José da Cruz, Manuel José Correia Pinto, Germano Bento Fernandes Dias (todos Feirenses), Ernane Correia de Almeida (Porto), Domingo da Silva Santos (S.João da Madeira), Carlos Augusto Pimenta (Bragança).

Depois da exposição feita por Lopes Valente, todos foram unânimes apoiando a ideia, declarando sob aplausos estar fundada a Casa da Vila da Feira. Assim sua fundação foi concretizada em 12 de julho de 1953. Ficou combinado que as reuniões passariam a ser realizadas provisoriamente no escritório de Lopes Valente.

Em 15 de setembro de 1954, reunidos em Assembléia, o Conselho Deliberativo autorizou a emissão de 700 títulos de Sócio-Proprietário, no valor de Cr$ 10.000,00 cada um e também a compra de um prédio que seria o verdadeiro “Solar Santamariano”. Entre várias propostas de venda de imóveis apresentadas, a que recebeu melhor acolhida foi a do prédio da rua Haddock Lobo, 195 do antigo proprietário Manuel José de Magalhães Machado. A compra aconteceu no dia 3 de novembro de 1954.

A Bandeira:

Em 18 de outubro de 1953 – O Sr. Manuel Lopes Valente apresentou o esboço da bandeira da Casa, que foi elaborada pelo arquiteto e pintor: Dr. José Maltieira. Este esboço foi apresentado ao Sr. José Dinis de Almeida, que era engenheiro, e se comprometeu a fazer o desenho em tamanho natural para ser confeccionada. A nossa primeira bandeira foi ofertada por José Leite de Pinho – Diretor da Casa Sucena que era especialista no gênero.

Sobre Santa Maria da Feira:
 

Santa Maria da Feira é uma cidade portuguesa com 18.194 habitantes no seu perímetro urbano, pertencente à Área Metropolitana do Porto, ao distrito de Aveiro, à região Norte e à antiga província do Douro Litoral.

É sede de um município com 213,45 km² de área e aproximadamente 140 mil habitantes, subdividido desde a reorganização administrativa de 2012/2013 em 21 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Vila Nova de Gaia e de Gondomar, a leste por Arouca, a sueste por Oliveira de Azeméis e São João da Madeira, a sul e a oeste por Ovar e a oeste por Espinho. O município de Santa Maria da Feira, para além da cidade sede (Santa Maria da Feira), inclui duas cidades (Fiães e Lourosa) e 12 vilas (Argoncilhe, Arrifana, Canedo, Lobão, Mozelos, Nogueira da Regedoura, Paços de Brandão, Rio Meão, Santa Maria de Lamas, São João de Vêr, São Paio de Oleiros e Souto).

Diretoria (Triênio de 2019 a 2022)

Ernesto Pires de Boaventura

Presidente

Elio Boaventura Pires

1º Vice-Presidente Administrativo

Jason de Melo

2º Vice-Presidente Administrativo

1 / 8

Please reload

Comissão Fiscal 2019/2022

Efetivo

Adérito Figueiredo das Neves

Joaquim da Cunha Amaral

Fernando Manuel Tavares da Silva

Suplentes

Antonio Alves dos Santos

Vinicius Boaventura Pires Correia

Manuel Delfim de Jesus Cardoso

    

Assembléia Geral

2018/2021

Presidente: Adão Ribeiro dos Santos

Vice-Presidente: Antonio Simões da Conceição

1º Secretário: Rogério da Costa Rebelo

2º Secretário: José Carlos de Souza Correia

Conselho Deliberativo 2018/2021

Presidente: Bruno Augusto Souza Freitas

Vice-Presidente: Luiz Carlos Martins Esperon

1º Secretário: Gabriel Castelo Branco Ribeiro Silva de Boaventura

2º Secretário: Antonio Joaquim Vieira Monteiro

Departamento Feminino

Roselene Silva Pires de Boaventura, Adriana Boaventura Pires, Aida Ribeiro dos Santos, Alzira Boaventura Pires, Ana Lúcia da Silva Santos, Andréa Amaral Figueiredo Costa, Belmira da Silva e Souza, Celeste do Céu Ferreira Gomes, Denise de Almeida Blanquet, Elizabeth de Fátima Correia de Figueiredo, Elsa Moreira da Silva, Fernanda Pereira Dos Santos, Ivonete Pereira Cardoso, Leonildes Marques Soares, Lucia Boaventura Rodrigues, Maria Alice Boaventura da Silva, Maria Luzia Caramuru Fernandes, Maria Nascielse Amaral Figueiredo, Maria Zulmira Rodrigues Alves, Rita de Cássia Rodrigues Gomes, Rosa de Boaventura Pires e Tatiana Pereira Cardoso.